My Click Coach Miami
My Click Coach Brasil

Seja um assinante e receba gratuitamente nossas dicas e informações.

VOCÊ ACREDITA QUE EXERCÍCIO É BOM APENAS PARA EMAGRECER? NÃO É BEM ASSIM.



Trabalho com exercícios há muitos anos e sem dúvida uma das maiores barreiras que encontro é explicar para uma pessoa sedentária que o exercício é bom e não apenas para emagrecer.

Acredito que explicar e fundamentar é a forma mais eficiente de esclarecer. Afinal, por que o exercício físico é tão importante? Para entendermos isso temos que nos lembrar de algumas coisas do passado. Temos que lembrar que nós seres humanos estamos neste planeta há pelo menos um ou dois milhões de anos. É lógico então pensar que nosso corpo se modificou e foi se adaptando às transformações do planeta. Sabemos que o ar que constitui a atmosfera era bem diferente e podemos dizer mais “pesado” com gases que hoje não estão mais presentes. Devido a isso nosso sistema respiratório era diferente, mais bruto, mais rude, não tão delicado como é hoje. Se fosse como hoje nós não sobreviveríamos.

E é este o ponto no qual quero chegar. Sobrevivência. Ao longo de todos esses anos nosso organismo vem sofrendo transformações e aquelas que são benéficas perpetuam. Costumo explicar o significado do exercício físico falando de sobrevivência.

O homem primitivo, assim como nós ainda hoje, precisava se alimentar. Para isso ele caçava. Acontece que a caça não queria ser caçada, claro. E então ela corria. Não havia outra forma de pegar essa caça se não correr também. Isso quer dizer que o homem primitivo do qual nós descendemos era um homem que corria, ou seja, fazia exercício, e muito. O significado disso é importante, porque os descendentes desse homem primitivo foram aqueles que sabiam e que tinham capacidade de correr, o organismo era adaptado a isso. Se não fosse morreriam e não dariam descendente. As adaptações que ocorreram se perpetuaram.

Além de correr, quando a caça era abatida já estava muito longe de casa. Então esse homem primitivo tinha que cortar a caça e carregar para a “caverna”. Vale lembrar que não havia faca...era na pedra. Vocês podem imaginar a força que deveria ser feira para cortar um animal em pedaços, sem uma boa faca? Articulações, ossos, músculos e pele, ou couro. Então estamos falando de mais exercício.

Essa era a rotina dos nossos ancestrais. Correr, matar, carregar muito peso para casa. Assim, o organismo que funcionasse melhor com essa rotina iria se perpetuar, e se perpetuou. O homem vem ao longo de tempo usando seu corpo, seus músculos para sua sobrevivência. Assim, todo nosso funcionamento é baseado em um estilo de vida muito ativo. Por exemplo, quando fazemos exercícios liberamos substâncias que nos dão sensação de prazer. Ao fazemos exercícios ou quando aprendemos coisas novas liberamos os mesmos hormônios, isso quer dizer que praticantes de exercícios tem sim mais facilidade no aprendizado. E muitas outras coisas que o exercício traz como benefício. Naquela época a ingestão de gordura saturada, rica em colesterol era alta, mas com o gasto calórico também alto e com o metabolismo necessitando desse tipo de gordura, os efeitos danosos eram minimizados.

Tudo isso indica que, se for usado, nosso corpo funciona em perfeita harmonia. Se fizermos uso dos nossos músculos, ossos, articulações, essa atividade irá atuar nos sistemas hormonal, cardiovascular, respiratório e em todo o nosso organismo. Tudo isso ficou em harmonia por muito tempo, até que a tecnologia nos trouxe uma diminuição drástica da necessidade de usar nosso corpo para a sobrevivência. Na atualidade não levantamos nem para desligar a televisão. Nosso gasto calórico se tornou mínimo.

Acontece que nesses anos todos de adaptações, houve uma grande adaptação que também foi fundamental para nossa perpetuação no planeta. Nós adquirimos a capacidade de engordar. Acreditem no passado isso foi fundamental. Aquele homem pré-histórico que tinha que correr, matar e carregar tudo para casa, não fazia isso todos os dias. Então, aqueles que conseguiam comer mais do que o necessário para ficar satisfeitos e armazenar o excesso na forma de gordura iriam resistir a períodos de escassez de comida. Isso não lembra aquele churrasco de domingo, no qual estamos satisfeitíssimos e ainda pegamos mais uns pedaços de picanha...antes da sobremesa!!!!

O que acontece hoje em dia é que a união dessas duas adaptações está nos fazendo muito mal. Somos ainda seres que dependemos do exercício para não ficarmos com diabete, pressão alta, obesidade. E ao mesmo tempo somos também seres que gostamos muito de comer e sabemos armazenar gordura com muita eficiência. Resultado: o sedentarismo nos mata. A adaptação que nos faltou (para alguns, claro) é amar fazer exercício. O homem primitivo podia não amar correr e carregar peso, mas ele tinha que fazer para sua sobrevivência.

Na minha opinião o que falta hoje é exatamente essa necessidade. Saber que fazer exercícios é também uma questão de sobrevivência. A medicina irá sem dúvida manter a vida de pessoas doentes e enfermas, mas a qualidade de vida será sempre mais precária, se comparada a uma pessoa saudável que não necessita de remédios etc. Falta essa consciência da necessidade de sobreviver com saúde e qualidade para aqueles que são sedentários. Quem conhece essa qualidade não consegue viver mais sem ela. Quem pratica exercícios regularmente, sente e se torna dependente dessa felicidade e dessa harmonia.

Então fica o convite, torne-se um dependente de qualidade de vida e de felicidade. Comece a fazer exercícios regulares, encontre aquele exercício que deixe você mais feliz. Mais uma vez o conselho é, busque profissionais que possam orientar de corretamente para que você se sinta bem e feliz.

Dra. Ivani Manzzo

Health Coach & Exercise Physiologist

www.myclickcoach.com


Dra. Ivani Manzzo

Dra. Ivani Manzo é PhD em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP - EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Lecionou em Universidades por mais de 20 anos e há 10 anos auxilia as pessoas a terem mais saúde e qualidade de vida, prescrevendo exercícios e orientando a alimentação. Atualmente reside nos Estados Unidos, onde trabalha e ministra palestras. Devido   a sua ajuda especialmente a comunidade brasileira, teve seu trabalho reconhecido sendo premiada como Notável da Flórida do ano de 2016. 

Leia mais aqui

Artigos Recentes
Arquivo
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • YouTube Classic
Entre em Contato