My Click Coach Miami
My Click Coach Brasil

Seja um assinante e receba gratuitamente nossas dicas e informações.

Quando temos o diagnóstico de câncer

May 4, 2016

 Câncer. Essa palavra causa arrepios, não é mesmo? Sim, existem inúmeras razões para isso, mas muita coisa já mudou e muitas pessoas não sabem.

 

Sem querer tirar a devida importância do diagnóstico e todas as necessidades de tratamento, gostaria de fazer uma comparação. Vamos ver quais são as doenças que mais matam no mundo e o nosso comportamento com relação a elas.

 

Em primeiro lugar, está doença isquêmica do coração, que mata 7.4 milhões de pessoas no mundo por ano. Causas mais comuns: pressão arterial elevada, obesidade e tabagismo. O que fazemos quando temos o diagnóstico de hipertensão, de obesidade? Na maioria das vezes nada, nem assustados ficamos. Vamos logo buscando desculpas como “ah eu trabalho muito e me estresso mesmo” ou “os gordinhos são mais felizes”, e assim vai.

 

Pense um pouco, quantas pessoas você conhece que têm pressão alta e/ou é obesa? Certo, já pensou? Agora pense na sua reação. Pensou? Agora tente se lembrar de quando você ficou sabendo de um amigo ou parente que desenvolveu câncer. Pensou? Foi diferente, não

 

Mas, a enfermidade que mais mata é a pressão arterial elevada e a obesidade, que matam mais que o câncer. O que vem depois é a sua reação a isso tudo. As pessoas que têm o diagnóstico reagem como você. Se a reação é de susto, medo, sem dúvida iremos tomar providências para que o pior não ocorra. Mas, se a reação não é forte, se não temos medo, não reagimos a isso e continuamos com os fatores de risco. Quero dizer, não iremos tomar providências para diminuir o risco e conseguir a cura. E esse comportamento ocorre também para as outras enfermidades que mais matam no mundo.

 

Em segundo lugar está a Aids, que mata anualmente 1.6 milhões de pessoas. Causas mais comuns: transmitida por fluídos corporais em relações sexuais, uso de drogas injetadas.

Na mesma escala está o câncer de pulmão, que também mata 1.6 milhão de pessoas por ano. Causa mais comum: tabagismo (ativo e passivo).

 

Em quarto lugar, a tuberculose, que mata 1.3 milhão de pessoas anualmente. Causas mais comuns: causada por bactéria e é transmitida pelo ar.

 

E, em quinto lugar, pneumonia, a qual mata 1.1 milhão de crianças todos os anos. Causas mais comuns: causada por vírus ou bactérias e existe praticamente em todos os lugares, transmitida por secreções e pelo ar.

 

Todas essas doenças dependem do nosso comportamento. Isso não é incrível? As cinco doenças que mais matam no mundo dependem de hábitos diários saudáveis como boa alimentação, exercícios, não usar drogas, usar camisinha em relações sexuais se o companheiro ou companheira não for fixo, lavar as mãos ou proteger a boca quando tossir ou espirrar, apenas isso.

 

Trabalhando com exercícios desde 1995, o que mais escuto é “não tenho tempo de fazer exercícios” ou “eu não gosto de fazer exercícios”. Nesse momento, vou usar uma frase que não é minha, e eu li em uma entrevista com o Dr. Cooper. Ele diz para aqueles que não gostam ou não têm tempo de fazer exercícios: “Então arrumem tempo para ficar doentes”.

 

Please reload

Dra. Ivani Manzzo

Dra. Ivani Manzo é PhD em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP - EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Lecionou em Universidades por mais de 20 anos e há 10 anos auxilia as pessoas a terem mais saúde e qualidade de vida, prescrevendo exercícios e orientando a alimentação. Atualmente reside nos Estados Unidos, onde trabalha e ministra palestras. Devido   a sua ajuda especialmente a comunidade brasileira, teve seu trabalho reconhecido sendo premiada como Notável da Flórida do ano de 2016. 

Leia mais aqui

Artigos Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload