My Click Coach Miami
My Click Coach Brasil

Seja um assinante e receba gratuitamente nossas dicas e informações.

FINALMENTE FDA PROIBE O USO DE GORDURAS TRANS EM ALIMENTOS INDUSTRIALIZADOS NOS EUA

 

 

“Em 1957, o pesquisador de nutrição Fred Kummerow foi um dos pioneiros a apontar os malefícios da gordura TRANS e relacioná-las às doenças cardiovasculares. ” Folha de São Paulo, 20/06/2015

Era necessário iniciar este post com esta citação. Primeiro porque claro, não fui eu quem disse isso e também porque não foi publicado pela primeira vez por mim. No entanto, perdi a conta do número de vezes que falei mal da gordura TRANS em sala de aula e sempre gerava polêmica.

Antes gostaria de fazer algumas perguntas simples. Primeiro, o que aconteceria com um saquinho de babatas fritas, que você mesmo fritou, se fosse deixado (fechado) no armário da sua casa por duas semanas?  Ou então aquele bolo feito em sua casa com a manteiga da melhor qualidade? Então por que no supermercado não estraga? Sim você acertou se respondeu que os alimentos feitos em casa não têm conservantes e estabilizantes e por isso vão estragar mais rápido. Muito mais rápido. Mas a razão não é apenas devido aos conservantes e estabilizantes químicos que são colocados.

Vamos explicar então. Existem alguns tipos de gorduras entre elas as gorduras saturadas e as insaturadas. Para simplificar podemos dizer que as gorduras saturadas assumem a forma de pasta em temperatura ambiente e as insaturadas a forma de óleo, na mesma temperatura. Outra coisa importante para se comentar é que os alimentos mais saborosos são ricos em gordura. Dentre os componentes dos alimentos industrializados as gorduras são muito baratas. Unindo essas informações não fica difícil entender que os alimentos industrializados, na sua maioria, são ricos em gordura, pois dessa forma ficam saborosos e não muito caros.

Mas eles não são ricos em qualquer tipo de gordura, eles são ricos em gorduras TRANS, que é saturada. Uma das razões para isso é que essa gordura serve também como conservante. Assim, os alimentos industrializados tendem a ser ricos em gorduras TRANS porque elas são saborosas, tem a consistência adequada para se colocar nos alimentos, são baratas e ainda contribuem para que o alimento não estrague. Então é claro que ela é largamente utilizada na indústria.

Mas qual o problema então? Como dito anteriormente desde 1957 se sabe dos malefícios da gordura TRANS para o organismo, mais especificamente para os vasos sanguíneos. A gordura TRANS é uma invenção humana. Ela é produzida a partir de óleos vegetais que são saturados para que assumam a forma de pasta e possam ser usados na indústria e em casa também, é a famosa margarina ou pasta vegetal.

Aqui nos Estados Unidos os fabricantes terão três anos para se adaptarem e banirem esse tipo de gordura dos alimentos. No Brasil a legislação obriga que o fabricante indique a quantidade de gordura TRANS no alimento. Mas infelizmente há um certo truque nisso tudo.

Desde 2003 os produtos que possuem até 0,2 grama de gordura TRANS por porção podem ter a indicação – LIVRE DE GORDURA TRANS na embalagem. O truque está em não se estipular o tamanho da porção. O fabricante pode manipular o tamanho da porção e sempre estar com uma quantidade baixa por porção...

Assim, suponha que você irá fabricar um biscoito e na receita exista gordura TRANS. Se cada porção, tem 10 gramas e a quantidade de gordura TRANS por porção é 2 gramas, você NÃO poderia escrever LIVRE DE GORDURA TRANS na embalagem e possivelmente venderia menos. Mas, se você mudar o tamanho da sua porção e colocar que sua porção é de 1 grama, você teria apenas 0,2 grama de gordura TRANS por porção e poderia escrever LIVRE DE GORDURA TRANS na embalagem, usando a mesma receita.

Isso é extremamente danoso porque a maioria dos consumidores nunca irá descobrir isso sozinho e a divulgação é muito pequena. Portanto espalhem essa informação! No Brasil o recomendado é a ingestão máxima de 2 gramas desse tipo de gordura por dia.

Mas porque a gordura TRANS é tão ruim? Porque ela induz o aumento na produção de LDL e diminuição de HDL e ainda agem sobre os processos inflamatórios no organismo.

Acredito que estas razões sejam suficientemente fortes para que o Brasil, assim como os Estados Unidos, tome uma providência rápida e proíbam o uso desse tipo de gordura.

No próximo post vamos falar sobre o LDL e o HDL e tirar algumas dúvidas sobre eles.

 

Dra. Ivani Manzzo

Health Coach & Exercise Physiologist

www.myclickcoach.com

 

Please reload

Dra. Ivani Manzzo

Dra. Ivani Manzo é PhD em Ciências pela Escola Paulista de Medicina UNIFESP - EPM com ênfase em obesidade, gestação e exercício. Lecionou em Universidades por mais de 20 anos e há 10 anos auxilia as pessoas a terem mais saúde e qualidade de vida, prescrevendo exercícios e orientando a alimentação. Atualmente reside nos Estados Unidos, onde trabalha e ministra palestras. Devido   a sua ajuda especialmente a comunidade brasileira, teve seu trabalho reconhecido sendo premiada como Notável da Flórida do ano de 2016. 

Leia mais aqui

Artigos Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload